ALEGRIA: nossa marca • AMAR A DEUS: nossa vida • A GLÓRIA DE DEUS: nossa missão

Av. Rio Do Ouro s/n • (próximo a Delegacia de Rio do Ouro/75DP) • Niteroi, CEP 24330-250, Rio de Janeiro-RJ
Tel. 26178058 • email: ipro.presbiteriana@gmail.com

domingo, 30 de junho de 2013

Amizade


Agostinho de Hipona

Eis o que amamos nos amigos, que amamos de tal modo que sentimos a consciência culpada quando não pagamos amor com amor, sem nada esperar do outro senão sinais de afeto. Daí o luto quando morre um amigo, daí as trevas da dor, a doçura que se transforma em amargura, o coração inundado de pranto e a morte dos vivos pela vida perdida dos que morrem. Feliz aquele que te ama, e que, por teu amor, ama o amigo e o inimigo! Somente não perde nenhum ente querido aquele para quem todos são queridos, aquele que nunca perdemos. E quem é ele senão o nosso Deus, o Deus que criou o céu e a terra e que lhes confere plenitude, pois foi plenificando-os que os fez? Somente quem te abandona pode perder-te. Mas onde irá ao abandonar-te? Para onde fugirá, senão para longe de tua bondade e para perto da tua cólera? Onde poderia ele, no seu castigo, não encontrar a tua lei? E a tua lei é a verdade; e a verdade és tu.
(Extraído do livro Agostinho de A a Z, pg. 46)

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Está tudo bem!


Rev. Jonas

Aconteceu na última quinta-feira. Estádio lotado. O jogo já estava nos acréscimos do segundo tempo quando o juiz marca um pênalti contra o Atlético-MG. A torcida atleticana parecia não acreditar. Um gol do adversário desclassificaria o time mineiro da Copa Libertadores da América 2013. O batedor chuta e o goleiro faz uma defesa incrível. O estádio vem abaixo. As câmeras da Globo passam em busca da reação dos torcedores. O que se viu foi uma grande comoção. Pessoas de todas as idades se abraçavam e choravam de alegria.

Alguém, não sabe ao certo quem, já disse: “Das coisas mais importantes da vida, a menos importante é o futebol”. Quando comparado com outras coisas da vida isso parece verdade. Curas, reencontros e nascimentos estão aí para não nos deixar mentir.

A cura de uma doença considerada incurável. Um reencontro no saguão do aeroporto. O nascimento de um filho… O choro de alegria geralmente vem quando, diante de nossa importência, recebemos aquilo que muito desejamos. É a notícia final de que “Tudo está bem”.

Da mesa da comunhão se ouve a mesma mensagem: “Tudo está bem”. O pão e o vinho teimam em nos avisar que “Tudo está bem”. Pois afinal nesses elementos está inserida a maior entre todas as curas, o melhor entre todos os reencontros e o mais lindo entre todos os nascimentos. O seu e o meu.

Para nós, das coisas mais importantes da vida, CRISTO, sem dúvida, é a mais importante.

Então, pensar nisso ainda te faz chorar de alegria?