ALEGRIA: nossa marca • AMAR A DEUS: nossa vida • A GLÓRIA DE DEUS: nossa missão

Av. Rio Do Ouro s/n • (próximo a Delegacia de Rio do Ouro/75DP) • Niteroi, CEP 24330-250, Rio de Janeiro-RJ
Tel. 26178058 • email: ipro.presbiteriana@gmail.com

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

A freqüência aos cultos

O fogo não se conserva numa única brasa, mas se muitas brasas são colocadas lado a lado, não tardara muito para que ele fique brilhante. Uma arvore solitária pouca sombra oferece ao viajante, mas ele encontrara descanso sob os fortes ramos de um bosque: assim Jesus com freqüência se deterá onde muitas "arvores do Senhor" estão plantadas. Vá as reuniões dos santos, se você quer ficar sob a proteção do Rei dos santos. Aqueles que habitam com os moradores de Jerusalém estão mais perto de receber generosamente seu quinhão da presença de Emanuel. (C. H. Spurgeon,O Melhor de C. G. Spurgeon, Editora Luz e Vida)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012


A Bíblia chegando ao povo Kimyal from Mero Cristianismo on Vimeo.

O Céu

Vincent Van Gogh
C. H. Spurgeon

Felizes os espíritos que terminaram a batalha da fé e vivem agora o êxtase de avisstá-lo; sim, mui felizes são os mais baixos dos serafins que voam ao seu comando e para sempre contemplam a face do Pai que está no céu. A aridez destas planícies nos induz a desejar o rio de água da vida; as figueiras estéreis deste solo esgotado nos incitam a seguir velozmente a vereda rumo às árvores imortais que crescem às márgens do rio de Deus; as nuvens nos convidam a voar além deste céu inferior para onde o tempo transcorre límpido; mesmo os espinhos e as sarças, a poeira e o calor da peregrinação e luta deste mundo são oradores poderosos para elevar nossos pensamentos mais sublimes para as coisas invisíveis e eternas.

(O Melhor de C. H. Spurgeon, Editora Luz & Vida)

Fogo no altar sempre




Era dever do sacerdote manter o altar do holocausto sempre pronto para receber as ofertas à Deus. Entre outras coisas, ele tinha que limpar as cinzas e não permitir que o fogo apagasse em hipótese alguma.

O que aos nossos olhos parece ser simples manutenção, na verdade tinha todo um significado. O fogo no altar era sinal da presença de Deus. Sem fogo no altar a oferta de sacrifício não tinha razão de ser.

E para nós hoje, quais os significados do fogo e do altar? No altar de nossos corações tem que arder a presença de Deus. Um altar despreparado, apagado, é um coração indiferente a Deus. Não podemos permitir que as cinzas de nossas lamentações torne o nosso culto desprovido de vida.

Devemos direcionar nosso culto a Deus como uma oferta de louvor. De outro modo será apenas um encontro social aquilo que fazemos na igreja, e não adoração. Por isso é necessário que o nosso altar (coração) esteja sempre limpo, e com fogo (presença de Deus) sempre pronto à receber nosso sacrifício de louvor (adoração).

Do seu pastor, ainda em férias, mas que continua orando por você…

Rev. Jonas

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

domingo, 8 de janeiro de 2012

A Lei do Culto



João Calvino

…oferecei sacrifício de louvores
do que é levedado, e apregoai
sacrifícios voluntários, e publicai-os;
porque disso gostais, ó filhos de Israel,
disse o Senhor Jeová.

(Amós 4:5)

Ao afirmar que os israelitas gostavam de fazer essas coisas, Deus repreende a presunção de inventarem por conta própria novos modos de culto;  é como se ele dissesse:  “Não exigi de vocês nenhum  sacrifícios senão os apresentados os apresentados em Jerusalém, em Jerusalém, mas vocês os oferecem a mim em lugares profanos. Por isso considerem considerem os seus sacrifícios como oferecidos a vocês e não a mim”. Sabemos verdadeiramente como os hipócritas, quando praticam quaisquer de suas obras e cerimônias frívolas sempre convertem Deus em devedor deles ; pois acham que Deus está obrigado a a eles. “Vocês deviam ter me consultado e apenas obedecido à minha palavra, deviam ter atentado àquilo que me agrada, o que eu ordenei; mas vocês desprezaram a minha palavra, negligenciaram a minha lei e foram atrás do que lhes agradava e procedia das suas próprias fantasias. Assim, visto que a própria vontade é a lei de vocês, busquem a recompensa em si mesmos, pois eu não admito nada disso. O que eu exijo é submissão implícita, nada mais procuro senão obediência à minha lei; como vocês não cumprem nada disso, mas agem segundo a própria vontade, isso não é adorar o meu nome”.

Oração
Concede, ó Deus onipotente, que assim como queres que  a nossa vida seja moldada pelo  preceito da tua lei, na qual nos revelaste aquilo que é do teu agrado, para não deambularmos na incerteza, mas te prestemos obediência; — ó concede que nos submetamos inteiramente a ti e te consagremos não somente toda a nossa vida e todos os nossos labores, mas também te ofereçamos como sacrifício o nosso entendimento e toda prudência e bom senso que tenhamos, de sorte que, ao te servirmos espiritualmente possamos realmente glorificar o teu nome, por meio de Cristo nosso Senhor. Amém.

*Extraído do livro “Devocionais e Orações - Meditando nos profetas menores”.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

A Glória de Deus

Jonathan Edward 

Deus, ao buscar Sua glória, busca também o bem de suas criaturas porque a emanação de Sua glória… pressupõe a felicidade de Suas criaturas. E, em comunicar-lhes Sua inteireza Ele o faz para si mesmo, porque o bem de suas criaturas, o qual Ele busca, está na sua estreita união e comunhão com Deus. Deus é o bem de suas criaturas. A excelência e a felicidade de suas criaturas não são nada mais que a emanação e a expressão da glória de Deus. Deus, ao buscar a glória e a felicidade de suas criaturas, busca a Si mesmo, e, ao buscar a si mesmo, isto é, a si mesmo irradia-se … Ele busca a glória e a felicidade de suas criaturas.

Assim, pois, é fácil conceber-se como Deus pode buscar o bem da criatura… a sua felicidade, a começar por uma suprema consideração por Si mesmo, pois a felicidade da criatura procede de… exercitar uma suprema apreciação por Deus… em contemplar a glória de Deus, em estimá-la, em amá-la e em regozijar-se nela.

O respeito de Deus pelo bem da criatura e o seu respeito para consigo mesmo não é um respeito dividido; mas ambos formam uma unidade, pois a felicidade da criatura, que Deus visa, é a felicidade de sua união com Deus.