ALEGRIA: nossa marca • AMAR A DEUS: nossa vida • A GLÓRIA DE DEUS: nossa missão

Av. Rio Do Ouro s/n • (próximo a Delegacia de Rio do Ouro/75DP) • Niteroi, CEP 24330-250, Rio de Janeiro-RJ
Tel. 26178058 • email: ipro.presbiteriana@gmail.com

sábado, 26 de fevereiro de 2011

As obras do nosso templo


Essas são algumas fotos para você acompanhar o andamento das obras de construção do nosso novo templo. Estamos na fase de aterramento, distribuição das instalações de luz e som e nivelamento do piso.


Acima, temos a planta do templo com as medidas e especificações sobre as instalações de som e luz.

Para a próxima fase da nossa obra, estamos realizando a Campanha do Cimento, cuja meta é conseguir 1.500 sacos de cimento. Iniciamos nossa campanha no domingo dia 20 de fevereiro (2011) com o encerramento do culto vespertino dentro do prédio do novo templo. Oramos pedindo a Deus que continue abençoando nossas obras e fortalecendo nossa igreja.

Essas carinha acima, foram feitas para simbolizarem a alegria a cada doação de 1 saco de cimento, cujo valor médio estipulamos em R$ 20,00. Se você está interessado em ajudar a construir nosso novo templo e nos abençoar, faça-nos uma visita e conheça nossa igreja. Você será muito bem vindo e poderá conhecer mais as boas novas do Evangelho como revelado nas Escrituras Sagradas, cujo centro é o nosso Senhor Jesus Cristo.




sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Coisas boas que deixam pessoas fora do Céu

Times Square - Nova York

Quando Jesus falou sobre a sua volta, em Lucas 17, Ele não falou sobre o índice de criminalidade! Não se referiu à imoralidade de hoje! Ele nada disse a respeito da epidemia de drogas, de nossas prisões superlotadas, dos milhões de abortos que se praticam mundo afora. Não - Ele disse apenas: “Assim como foi naqueles dias, as pessoas estarão comprando, vendendo, comendo, casando-se – preocupadas com ‘coisas boas’. E elas ficarão tão ocupadas, que negligenciarão suas próprias almas!”.

Como será que Deus se sente ao ser tratado com desprezo por aqueles que uma vez andaram, conversaram e choraram com Ele? No passado, estas mesmas pessoas lhe disseram: “Senhor, Tu salvaste a minha vida de um inferno mau. Nunca Te deixarei!”. Mas agora, eles não lhe reconcedem nem um instante do seu dia. Podem até dizer: “Tenho de ganhar a minha vida. O Senhor compreende”. Não é assim! Ele jamais compreenderá – nem jamais aceitará o fato de o colocarmos em segundo plano.

A parábola da Grande Ceia (Lucas 14:16-24) narra que o Senhor preparou uma grande festa e, na hora marcada, nenhum convidado apareceu. Cada convidado da referida parábola apresentou uma justificativa: a compra de cinco juntas de bois, a aquisição de um lote de terra, o casamento. Não existe pecado em se comprar bois ou terras, ou em casar-se. Mas a questão aqui é outra: estas pessoas colocaram de lado a comunhão com Deus! Exatamente o que muitos fazem hoje em dia: buscam primeiro todas as coisas que julgam importantes e, se sobrar tempo, o Reino de Deus e a Sua Justiça.

Qual foi o pecado dos três homens nesta parábola? Eles colocaram de lado o convite para gozar da intimidade e da comunhão com o Senhor. Não me entendam mal: todas as coisas que eles estavam fazendo eram boas e legítimas. Mas elas se tornaram pecaminosas – imperdoáveis – ao roubarem destes senhores o seu tempo e sua reverência pelo Senhor.

Texto baseado no famoso sermão do Pastor David Wilkerson

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Volta às aulas


O que as escolas não ensinam

Nesta semana milhões de crianças, adolescentes e jovens estarão retornando às salas de aula. Talvez você seja um deles, ou um deles pode ser seu filho. Seja como for, a intenção de ir a escola tem por objetivo um futuro melhor pra nossas vidas. Sabemos que quando mais anos alguém passa estudando, mais preparado estará para assumir um espaço nesse mundo tão competitivo.

Uma escola pode estar super preparada para formar alunos em excelentes profissionais. Porém, as escolas não estão preparadas para formar pessoas em adoradores de Deus. Ora, você pode dizer, “essa não é a função de uma escola”. Concordo, mas penso que essa deveria ser a sua maior preocupação. Até porque a vida nos reserva muito mais do que resolver questões de matemática, ou de ciência, ou de física, etc,... A vida reserva muito do inesperado. Ela dá provas suspresas. A vida pedirá que preenchamos as lacunas existenciais do nosso ser. Mas como responder corretamente à vida se a pessoa não sabe quem ela é, e muito menos pra que ela é? Já que a escola não ensina, dizem por aí que a própria vida se encarrega de ensinar. Mentira. Se fosse assim, todos seriam completamente felizes, pois aprenderiam com a experiência a dar respostas aos seus mais profundos dilemas. A verdade é que aquele que não sabe as respostas vive sob o risco de ver acontecer em sua própria vida aquilo que já aconteceu com os gênios e tantas pessoas comuns. À sua maneira cada um conseguiu lidar com números, textos, fórmulas, mas não conseguiram lidar com sua própria existência. Tornaram-se vazias de esperança, de amor e fé. Se perderam em si mesmas porque não aprenderam a adorar.

Um adorador não sabe todas as respostas, mas sabe quem as têm. Por isso anda com Ele, na certeza que passará, com louvor, em todas as provas de sua vida.

Pra você, do seu pastor, Rev. Jonas

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011