ALEGRIA: nossa marca • AMAR A DEUS: nossa vida • A GLÓRIA DE DEUS: nossa missão

Av. Rio Do Ouro s/n • (próximo a Delegacia de Rio do Ouro/75DP) • Niteroi, CEP 24330-250, Rio de Janeiro-RJ
Tel. 26178058 • email: ipro.presbiteriana@gmail.com

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Atos de Adoração

John Piper

Quando você pensa em adoração, não pense apenas nos cultos. Essa é uma grave limitação que não se encontra na Bíblia. Toda a vida deve ser adoração, como Paulo o disse: “Apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional”. (Romanos 12:1). Toda a vida se realiza por meio do corpo. Este deve ser apresentado a Deus como nosso “culto racional”. Isso inclui todas as ações.

Por exemplo, quanto ao sexo. Paulo diz que o corpo é um templo, ou seja, um lugar de adoração (1 Co 6:18-20). O corpo é um lugar para nos encontrarmos com Deus, e não com prostitutas. Isso não significa que o sexo é pecaminoso. Significa que o sexo é precioso. O sexo é muito precioso e não deve ser barateado. Deus tenciona que o coloquemos em um lugar bastante seguro e sagrado – o casamento. Neste lugar, o sexo se torna a expressão do amor entre Cristo e a Igreja. Revela a glória da intimidade do amor de Deus por seu povo. Torna-se adoração. “Glorificai a Deus no vosso corpo”.

E não fazer sexo fora do casamento demonstra a preciosidade daquilo que ele representa. Portanto, a castidade é adoração. A continência magnifica a Cristo acima do sexo. E praticar a sexualidade amorosa no casamento exalta a Cristo como o grande amado de sua noiva, a igreja (Ef 5:25-30).

Extraído do livro “Provai e Vede” de John Piper.

Nenhum comentário:

Postar um comentário