ALEGRIA: nossa marca • AMAR A DEUS: nossa vida • A GLÓRIA DE DEUS: nossa missão

Av. Rio Do Ouro s/n • (próximo a Delegacia de Rio do Ouro/75DP) • Niteroi, CEP 24330-250, Rio de Janeiro-RJ
Tel. 26178058 • email: ipro.presbiteriana@gmail.com

segunda-feira, 30 de julho de 2012




João Calvino*

Não acontecerá, naquele dia, diz o SENHOR,
que farei perecer os sábios de Edom e o
entendimento do monte de Esaú?
(Obadias 8)  

Embora, em muitos aspectos, os homens, a quem Deus não guia com o seu Espírito nem ilumina com a sua palavra, sejam cegos; cegueira pior é quando eles se embriagam com a falsa presunção de sabedoria. De fato, Deus permite aos ímpios que por muito tempo se rejubilem na própria esperteza e conselhos, assim como ele tolerou que os idumeus vivessem prosperamente. Mas essas palavras nos advertem que, se sobressaímos em inteligência, não devemos empregar mal esse dom singular que Deus nos concede, como vemos ser o caso dos ímpios, que convertem em astúcia toda e qualquer sabedoria que Deus lhes outorga. Quase não há, entre cem deles, um que, avantajando-se em inteligência, não tente ser astucioso e enganador. Vemos que o mundo corrompe este excelente dom de Deus; a razão maior para o nosso labor, para que a nossa sabedoria esteja alicerçada na simplicidade verdadeira. Além disso  precisamos também estar atentos para não confiarmos em nossa própria sabedoria e  desprezarmos nossos inimigos e, igualmente, não imaginarmos que podemos evitar todo mal que nos ameace. Antes, busquemos sempre o Senhor para que ele, em todo tempo, nos conceda o Espírito de sabedoria, de modo a nos guiar equilibradamente até o fim da vida.

Oração
Concede, ó Deus onipotente, que assim como nos recebeste de uma vez por todas sob a tua proteção e nos tens assegurado que a nossa salvação está tanto aos teus cuidados que, sejam quais forem as conspirações de Satanás e do mundo inteiro, tu ainda nos guardarás sãos e salvos, — ó concede que, revestidos de perseverança, não ultrapassemos os nossos limites nem sejamos levados para cá e para lá por astúcias ou conselhos malignos; antes compraze-te em nos guardar em integridade genuína, para que, protegidos pelo teu socorro, possamos, pela provação, comprovar a verdade que declaras na tua palavra e aqueles que te invocam em verdade saibam sempre que és favorávela eles; e já que nos deste acesso pela pessoa do teu Filho unigênito, ó concede que nós, as ovelhas, confiemos nele como o nosso Pastor, submetendo-nos resignadamente à sua proteção até que sejamos por fim afastados de todos os perigos, levados ao descanso eterno, adquirido para nós pelo sangue de Cristo, teu único Filho. Amém. 


*Devocionais e orações, Meditando nos profetas menores, tradução: Marcos Vasconcelos.                   

Nenhum comentário:

Postar um comentário